facebook_pixel

Nossa História

Em 2010, por ocasião do terremoto ocorrido no Haiti em 12 de janeiro, uma equipe de pastores se mobilizou e viajou até o local para levar ajuda. Chegaram 15 dias após o terremoto, trazendo as primeiras ajudas. O idealizador do projeto, Pr. Mário Freitas, iniciou um amplo projeto de mobilização no Brasil, que tomaria proporções inimagináveis.

Na etapa emergencial, as equipes da MAIS trabalharam na construção de templos para as igrejas prejudicadas pelo terremoto, no apoio financeiro mensal a uma rede de pastores, na potabilização de água para as comunidades, entre outros projetos. Com o tempo, a organização foi notando que a assistência não seria suficiente se não fosse projetada em longo prazo. Assim, a MAIS especializou-se em projetos de DESENVOLVIMENTO COMUNITÁRIO: o foco passou a ser o treinamento de jovens líderes para a implantação de programas sociais nativos, e a implantação de bolsas de microcrédito, visando que as famílias cristãs pudessem receber subsídio de igrejas brasileiras para iniciar seus próprios negócios e adquirir subsistência.

A MAIS continuou envolvida no socorro pós-catástrofe, como no Japão após o Tsunami de 2011, quando nossas equipes atenderam as vítimas dos abrigos na província de Fukushima. Mas a visão de DESENVOLVIMENTO COMUNITÁRIO tornou-se a maior característica da organização. As demandas foram crescendo, e no mesmo ano de 2011 a MAIS abriu bolsas de microcrédito também em países africanos como Sudão e Burundi, além de países do Oriente Médio e Ásia Central a partir de 2012.

Em 2013, considerando principalmente o ápice da guerra da Síria, um novo projeto surgiu: a MAIS começou a acolher refugiados cristãos no Brasil. Desde então, dezenas de famílias foram recebidas no Brasil todo por meio do programa de refugiados RENOVARE. (Clique aqui e conheça nosso projeto de acolhimento a refugiados).

Em 2014, iniciamos o CT MAIS (Centro de Treinamento MAIS), onde treinamos missionários com foco no cuidado da igreja sofredora e no desenvolvimento comunitário, para servir não somente em nossos projetos, mas também para direcionar alguns para outras organizações.  Vários dos nossos alunos são oriundos da igreja sofredora. Além de brasileiros de diversos estados, temos treinado jovens do Haiti, Burundi, Cuba, Colômbia e Guiné Bissau, os quais voltarão a seus países para trabalhar junto à igreja nacional.

Em 2015, pleiteamos a abertura de 5 novas bases. O caos global faz com a igreja sofredora aumente suas demandas. Entendemos isso como chamado de Deus, não somente para nós, mas para toda a igreja brasileira.

Em 2016, mudamos nosso escritório e base para o Paraná, na região da Grande Curitiba, podendo desenvolver ainda mais o CTMAIS, o acolhimento a refugiados e nossa estrutura. Ajude-nos a continuar escrevendo essa história.

Leia também em: Inglês, Espanhol

Shares
Share This
MAIS no Mundo